Pages

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Minidicionário - Palavras de origem africana




Oi , Turminha!


Encontrei Aqui   um minidicionário com palavras de origem africana, creio que será de grande ajuda na elaboração do nosso projeto.

Até mais!

Abadá - Túnica folgada e comprida; atualmente no Brasil, é o nome dado a uma camisa ou camiseta usada pelos integrantes dos blocos e trios elétricos carnavalescos.
Abará – Quitute semelhante ao acarajé, cujos bolinhos são envolvidos em folhas de bananeira e cozidos em banho-maria.
Acarajé – Bolinho feito de massa de feijão-fradinho frito no azeite de dendê e servido
com camarões secos.
Afoxé – Dança semelhante a um cortejo real, que desfila durante o carnaval em cerimônias religiosas.
Agogô – Instrumento musical formado por duas campânulas ocas de ferro.
Aluá – Bebida feita de milho, arroz cozido ou com cascas de abacaxi.
Angola – Nome dado a uma das mais conhecidas modalidades do jogo de capoeira e,
também, a um dos cinco países africanos de língua portuguesa.
Angú – Massa de farinha de milho ou mandioca; angú-de-caroço; coisa complicada.
Azoeira – Barulhada, zoeira, bagunça.
Axé – Saudação; força vital e espiritual.
Babá – Ama-seca; pessoa que cuida de crianças em geral; pai-de-santo; a origem é
controvertida sendo, para alguns estudiosos originária do quimbundo, e para outros do
idioma iorubá.
Babaca – Tolo; boboca.
Bagunça – Baderna, desordem.
Balangandãs – Enfeites, originalmente de prata ou de ouro, usados em dias de festa.
Bancar – Fazer o papel de; fazer-se de.
Bambambã Ou Bamba – Maioral, bom em quase tudo o que faz.
Bamberê – Cantiga de ninar entoada por negras velhas da Região Amazônica.
Bambolê – Aro de plástico ou metal usado como brinquedo.Banguela – Desdentado; os escravos trazidos do porto de Benguela, em Angola,
costumavam limar ou arrancar os dentes superiores.
Bantos – Povos trazidos do sul da África, principalmente de Angola e Moçambique,
que espalharam sua cultura, idiomas e modos.
Banzé – Confusão.
Banzo – Tristeza fatal que abatia os escravizados com saudades de sua terra natal.
Baobá – Árvore de tronco enorme, reverenciada por seus poderes mágicos.
Batuque – Dança com sapateado e palmas, ao som de instrumentos de percussão. É
uma variante das rodas de capoeira praticada pelos negros trazidos de Angola para o
interior da Bahia. No sul do Brasil, é sinônimo de rituais religiosos e, no interior do
Pará, é uma espécie de samba.
Berimbau – Instrumento musical, composto de um arco de madeira com uma corda
de arame vibrada por uma vareta, tendo uma cabaça oca como caixa de ressonância.
Birita – Cachaça; gole de cachaça.
Bitelo – Grande; de tamanho exagerado.
Bobó – Um tipo de purê feito de aipim ou inhame.
Boca-De-Pito – Pitada; tragada em cigarro, charuto ou cachimbo; disposição para
fumar provocada pela ingestão de café ou bebida alcoólica.
Bolor – Vegetação que provoca decomposição em matérias orgânicas.
Bomba – Certo doce de forma cilíndrica ou esférica feito de massa cozida e glaçado na
parte superior.
Borocoxô – Molenga. Entristecido.
Bruaca -  Espécie de mala ou sacola que se levava no lombo de animais.
Bugiganga – Objeto de pouco ou nenhum valor ou utilidade.
Bunda – Nádegas, na língua falada pelos Bundos de Angola.
Búzios – Conchas marinhas usadas antigamente na África como moedas e, em nossos
dias, em cerimônias religiosas e em jogos de previsão.
Caçamba – balde para tirar água de um poço; local onde se depositam detritos.
Cachaça – Bebida alcoólica; pinga; durante muito tempo, os negros escravizados,
banhados em suor, giravam manualmente as rodas dos engenhos de açúcar e, do
vapor originário da fervura do caldo da cana, escorria pela parede e pingava do teto
(daí o porque o nome “pinga”)a bebida de sabor clássico, que ardia nos olhos e foi
batizada de “pinga”.Cachimbo – Tubo de fumar, com um lugar escavado na ponta para se colocar o
tabaco.
Cacimba – Poço ao ar livre, onde se retém a água da chuva para diversas finalidades.
Caçula – O mais novo.
Cacunda – Corcunda; corcova; costas.
Cafofo – Lugar que serve para guardar objetos usados; nos dias atuais, serve
também para designar moradia pequena, mas aconchegante.
Cafuá – Esconderijo; casebre.
Cafundó – Lugar distante e isolado.
Cafuné – Coçar a cabeça de alguém. Fazer um carinho.
Cafungar – Fungar; aspirar pelo nariz; cheirar; fuçar; farejar; focinhar; procurar
minuciosamente.
Cafuzo – Mestiço de negro e índio.
Calango – Tipo de lagarto do sertão; dança afro-brasileira.
Calombo – Inchaço.
Calunga – O mar; boneca carregada pelas damas do paço nos desfiles de reis e
rainhas dos Maracatús de nação em Pernambuco; símbolo da realeza e do poder dos
ancestrais.
Camundongo – Rato pequenino.
Candomblé – Casas ou terreiros de diferentes nações – Angola, Congo, Jêje, Nagô,
Ketu e Ijexá – onde são praticados os rituais trazidos da África. Esses cultos são
dirigidos por um Babalorixá (pai-de-santo) ou por uma Ialorixá (mãe-de-santo). Um
dos mais tradicionais é o de Gantois,em Salvador, na Bahia. No passado, o candomblé
foi muito perseguido.
Canga – Tecido com que se envolve o corpo. Peça de madeira colocada no lombo dos
animais.
Canjica – Papa de milho.
Capanga – Guarda-costas; bolsa pequena que se leva a tiracolo.
Capenga – Manco; com andar de bêbado.
Capoeira – Jogo de corpo, agilidade e arte, que usa técnicas de ataque e de defesa
com os pés e as mãos. As rodas são acompanhadas por palmas, pandeiros, chocalhos,
berimbaus e cânticos de marcação.Carimbo – Marca; sinal.
Carimbó – Tipo de dança afro-brasileira originária da região norte do Brasil.
Carurú – Iguaria da culinária afro-brasileira, feita com folhas, quiabos e camarões
secos.
Catimba – Manha; astúcia.
Catinga – Fedor; mau cheiro.
Catita – Pequeno, baixo, miúdo. No nordeste, é o nome dado a um ratinho novo.
Catupé – Cortejo afro-mineiro. As fardas de seus integrantes são enfeitadas de fitas,
sendo que dançam e cantam acompanhados por instrumentos de percussão.
Caxambú – Dança e nome de um tambor grande. ...Vamos todos na dança do
Caxambú, saravá a todos saravá...(Almir Guineto)
Caxangá – Jogo praticado em círculo. Os versos de uma velha cantiga baseada nessa
brincadeira, são bem populares. (Escravos de Jó, jogavam caxangá....)
Caxixí – Chocalho pequeno feito de palha.
Caxumba – Inflamação das glândulas salivares.
Cazumbí – Alma penada.
Chilique – Desmaio. Ataque de nervos. “Ter um troço”.
Cochilar – Breve soneca. Sono leve.
Congadas ou Congos – Danças dramáticas com enredo e personagens
característicos, como reis, rainhas, príncipes, princesas, embaixadores, chefes de
guerra e guerreiros que se despedem no final das apresentações cantando: “quem
tiver mulher e filho se despeça....Adeus que eu já me vou...
Coque – Bater na cabeça de alguém com o nó dos dedos. Tipo de penteado onde o
cabelo é todo preso num arranjo único no alto da cabeça; há uma corrente que
acredita ser o nome proveniente do inglês “cock”, que significa galo, e outra que
associa o nome a barulho que é feito e também ao “galo” na cabeça.
Cubata – Palhoça.
Cuíca – Instrumento musical que emite um ronco peculiar.
Dendê – Fruto da palmeira, de onde é extraído o azeite.
Dengo – Gesto de carinho
Dengoso – Chorão; manhoso; enfeitado; deslambido; faceiro.
Diamba – Um tipo de erva alucinógena.Ebó – Oferenda feita aos orixás para resolver os mais diferentes desejos e problemas.
Embalar – Acalentar; balançar; fazer adormecer.
Empacar – Não continuar. Não prosseguir. Diz-se quando o animal firma
teimosamente as patas para não prosseguir viagem.
Encabular – Envergonhar-se. Ficar vexado por algum motivo.
Engabelar – Enganar. Iludir jeitosamente. Trapacear. Engodo. Embuste.
Escangalhar – Desordem. Confusão. Desmantelo. Dano causado por estrago.
Espandongado – Desajeitado. Defeituoso. Arruinado. Desarrumado. Relaxado.
Descomedido. Arreliado.
Fofoca – Intriga. Mexerico
Fuá – Briga. Rolo. Desordem. Intriga. Catinga. Cheiro desagradável. Diz-se também
do eqüino arisco.
Fuleiro – Reles. Ordinário. Sem Valor. Farrista.
Fulo – Irritado. Zangado. Nervoso.
Fungar – Fazer ruído com o nariz ao inspirar o ar. Assoar o nariz. Coriza na fossa
nasal. Fuçar.
Furduncio – Também pronunciado e escrito como “Forduncio”, significa festança
popular. Divertir-se com alarido. Barulho. Desordem.
Futum – Mau cheiro. Fedor. Peixe morto na superfície da água.
Fuxico – Falar mal dos outros. Artesanato popular feito com pedaços de panos.
Costurar superficialmente. Alinhavar. Amarrotar.
Fuzarca – Farra. Desordem. Bagunça.
Fuzuê – Festa. Confusão. Turbilhão nas águas de um rio.
Gambé – Designação de um policial na gíria dos travestis, menores e delinqüentes em
geral.
Gandaia – Farra. Bagunça. Vadiagem. Ofício de trapeiro. Pessoa sem préstimo.
Inerte.
Ganzá – Espécie de chocalho.
Garapa – Caldo da cana. Bebida formada pela mistura de mel-açúcar-água.
Geringonça – Coisa malfeita e de duração precária. Objeto ou coisa estranhos cujo
nome e finalidade não se conhece.Ginga – Bamboleio. Balanço com o corpo. Dançar com o corpo ao som de uma música
ou instrumento. Movimento corporal na capoeira, na dança e no futebol. Sacerdotisa
do culto Omolocô. Remo que se usa para fazer a embarcação balançar.
Gogó – Pomo-de-Adão. Garganta. Laringe
Gororoba – Comida malfeita. Comida feita com restos de diversos alimentos. Diz-se
também do indivíduo lento, molengão ou covarde.
Guimba – Parte que resta do cigarro ou charuto depois de fumados.
Hã – Interjeição de surpresa, espanto ou de admiração entre os Iorubás. Manifestação
de incompreensão. Não entendimento.
Iaiá – Tratamento dado às moças e meninas na época da escravidão. Na Luanda
antiga, era o tratamento respeitoso que as filhas e netas dos escravos davam às
patroas.
Impala – Espécie de antílope africano. O nome batizou também um modelo de
automóvel da Chevrolet.
Implicar – Provocar. Amolar. Intrometer. Contender.
Inhame – Designação comum de um tipo de tubérculo comestível menor que a
mandioca; homem de corpo defeituoso. Coisa ou objeto disforme ou deformada.
Jabá – Suborno oferecido a programador de emissora de rádio ou televisão para que
inclua na programação determinada obra musical. Certo tipo de abóbora.
Jabaculê – Gorgeta. Propina. Dinheiro.
Jagunço – Capanga. Combatente das forças de Antonio Conselheiro na Guerra de
Canudos. Cangaceiro.
Jererê – Nome dado ao cigarro de maconha. Faísca. Centelha.
Jiló – Fruto do jiloeiro.
Jongo – Dança tradicional afro-brasileira.
Lambada – Golpe dado com o chicote, tabica ou rebenque. Copo ou gole de bebida
alcoólica. Dança de salão de origem amazônica. Significa bater, castigar, ferir, atingir
com golpe ou pancada.
Lambança – Desordem. Sujeira. Serviço malfeito. Embuste. Trapaça em conversa ou
jogo.
Lambão – Indivíduo que não sabe lidar com as coisas sem sujar-se.
Lambuja – Vantagem que um jogador concede ao parceiro ou rival. Aquilo que se
ganha ou dá além do combinado.Lapada – Lambada. Bofetada. Espécie de pá semelhante ao remo.
Larica – Na gíria dos maconheiros, significa o apetite desenfreado após a ingestão da
maconha. Dificuldade. Aperto. Apuro.
Lenga-Lenga – Conversa, narrativa ou discurso enfadonho.
Lero-Lero – Conversa fiada. Palavreado vazio.
Maculelê - Folguedo popular de origem baiana, misto de jogo de dança com bastões
ou facões.
Macumba – Nome pejorativo dado aos cultos afro-brasileiros. Audaz. Ousado. Certo
tipo de reco-reco. Cada uma das filhas de santo nos terreiros de origem Banta. Antigo
jogo de azar. Antiga denominação que se dava à maconha.
Maluco – Alienado mental. Endoidecido.
Mangar -  Zombar. Caçoar.
Mangue – Comunidade geográfica localizada em áreas onde o solo é formado por uma
lama escura e mole. Terreno lamacento.
Mamona – Fruto da família das esforbiáceas. Rícino.
Mamulengo – Fantoche. Teatro de fantoches.
Mandinga – Bruxaria. Feitiço. Talismã. Qualidade de jogo de capoeira.
Mandraque – Bruxaria. Feitiçaria. Mandinga.
Manha – Choro infantil sem causa. Birra. Malícia. Ardil. Artimanha. Habilidade manual.
Maracatú – Certo tipo de dança afro-brasileira. Em Recife/PE, os maracatus de nação
representam embaixadas africanas com todo o séquito real.
Maracutaia – Trapaça. Embuste. Engodo. Golpe.
Marafa (o)– Vida desregrada. Licenciosa. Cachaça. Vinho. Diz-se também do tipo de
vida, por exemplo: “Viver na marafa...”, viver entregue ao vício da bebida e da
vadiagem.
Mano – Tratamento respeitoso entre os antigos sambistas cariocas (“Mano” Elói,
“mano” Décio etc.). Irmão.
Marimbondo – Certo tipo de vespa.
Matuto – Indivíduo que vive no mato. Na roça. Pessoa ignorante e ingênua.
Maxixe – Fruto do maxixeiro. Certo tipo de chuchu espinhoso. Dança brasileira de
salão.Miçanga – Conta de vidro miúda. Ornatos feitos com esse tipo de conta. Colar.
Rosário.
Milonga – Desculpas descabidas. Manhas. Dengues. Mexericos. Intrigas. Feitiço.
Sortilégio Bruxedo. Música e dança de origem platina.
Mingau – Papa de farinha de cereais com leite, açúcar e outros ingredientes. Em
língua oeste-africana, era um tipo de milho cozido em água e sal. Na linguagem
Banta, é o ato de molhar o pão no pirão ou molho.
Mochila – Alforge. Bornal que se leva às costas.
Mocambo – Cabana. Palhoça. Habitação miserável. Couto de escravos fugidos na
floresta.
Mocorongo – Mulato escuro. Caipira. Indivíduo natural de Santarém/PA. Palhaço da
folia de reis. Mosquito transmissor do impaludismo.
Mocotó – Pata de bovino utilizada como alimento. Tornozelo.
Molambo – Trapo. Pano velho rasgado ou sujo. Roupa esfarrapada. Indivíduo fraco e
sem caráter. Corpo velho, cansado, moído.
Molenga – Mole. Indolente. Preguiçoso. Medroso e covarde.
Moleque – Negrinho. Indivíduo irresponsável. Canalha. Patife.
Moqueca – Guisado de carne ou peixe tradicional da culinária afro-brasileira.
Moringa – Garrafão ou bilha de barro para conter e refrescar água potável. Cântaro.
Muamba – Cesto ou canastra para transporte de mercadorias. Furto de mercadorias
nos portos. Contrabando. Negócio escuso.
Mucama – Escrava doméstica. Concubina. Escrava que era amante do seu senhor.
Mondongo – Indivíduo sujo e desmazelado. Boneco de pano sem governo.
Mongo – Sujeito bobo. Moleirão. Débil mental.
Mutreta – Trapaça. Confusão.
Muxiba – Pelanca. Pedaços de carne magra. Retalhos de carne que se dá aos cães.
Mulher feia. Bruxa. Seios flácidos de mulher.
Muquifo – Lugar sujo e em desordem. Palavra ligada ao Kicongo, significa também
latrina. Casebre. Choupana
Muvuca – Confusão. Algazarra.
Nenê – Criança recém-nascida ou de poucos meses. Provém do Umbundo “nene”, que
quer dizer pedacinho, cisco.Odara – Bom. Bonito. Limpo. Branco. Alvo.
Pamonha – Certo tipo de iguaria derivada do milho. Diz-se também da pessoa
molenga. Inerte. Desajeitada. Preguiçosa. Lenta.
Patota – Turma. Grupo.
Pendenga – Litígio. Rixa. Contenda.
Perrengue – Dificuldade ou aperto financeiro. Diz-se também da pessoa fraca.
Covarde. Animal imprestável.
Pimba - Pênis de menino
Pindaíba – Falta de dinheiro. Miséria feia.
Pinga – Aguardente extraída do caldo da cana.
Pirão – Papa grossa de farinha de mandioca.
Pito – Cachimbo. Cigarro. Repreensão. Censura. Dar bronca.
Pitoco – Objeto ou utensílio o qual já falta uma parte essencial. Parte amputada ou a
restante no corpo humano.
Puta – Gen. Elemento utilizado para qualificar algo ou alguém como grande ou
excelente: Exemplos: “Um puta homem”, “Uma puta casa”; Originário do Quicongo
“mbuta” que significa notável, melhor. Também significa a forma apocopada de
prostituta.
Quenga – Guisado de quiabo com galinha. Mulher prostituída. Meretriz.
Quengo – Cabeça. Região próxima da nuca.
Quilombo – Aldeamento de escravos fugidos. Folguedo popular alagoano em forma de
dança dramática.
Quindim – Doce feito com a gema do ovo, côco e açúcar. Na Bahia significa também
meiguice, dengo, encanto, carinho.
Quitute – Iguaria. Acepipe. Canapé.
Quizila – Ojeriza. Aversão. Implicância.
Quizumba – Confusão. Briga.
Requenguela – Engelhado. Encolhido. Tímido. Fraco. Sem substância.
Samba – Nome genérico de um ritmo de dança afro-brasileiro.
Sarapatel – Guisado feito com sangue e miúdos de certos animais, especialmente o
porco.Sarará – Alourado. Arruivado.
sarava -  Palavra usada como saudação nos cultos afro-brasileiros, significa “salve”.
Sapeca – Diz-se de moça muito namoradeira ou assanhada. Diz-se também da
criança muito arteira.
Serelepe – Vivo. Buliçoso. Astuto. Esperto.
Songamonga – Pessoa dissimulada. Sonsa. Débil. Boba.
Sova – Dar pancadas com a mão. Espancar.
Tagarela – Pessoa que fala muito e à toa.
Tango – Dança argentina popularizada no Brasil, proveniente do espanhol “tango” e
do Kimbundo “tangu” (pernada), que era uma forma de bailado de negros ao som de
tambores e outros instrumentos.
Trambique – Negócio fraudulento. Vigarice. Logro.
Tribufú – Maltrapilho. Negro feio.
Tu – Diz-se do negro tido como sendo bruto. Boçal. Grosseiro. Oposto ao negro bom e
passivo; “...Este samba/que é misto de maracatú/é samba de preto velho/ samba de
preto TÚ...”; Pode ser também uma redução de Bantú.
Tunda – Surra. Sova. Crítica severa.
Tutano – Substância mole e gordurosa no interior dos ossos.
Tutú – Maioral. Manda-chuva. Indivíduo valente e brigão. Feijão cozido e refogado ao
qual se vai adicionando farinha até dar a consistência de pirão. Dinheiro. Grana.
Suborno.
Urucubaca – Azar. Má sorte. Diz-se também de uma praga rogada por pessoa
inimiga.
Xará – Pessoa que tem o mesmo nome que outra.
Xepa - As últimas mercadorias vendidas nas feiras livres, mais baratas e de qualidade
inferior. Sobras. Coisa inferior.
Xodó – Amor. Sentimento profundo que se demonstra por algo ou alguém. Carinho.
Zabumba – Tambor grande. Bumbo.
Zangar – Causar zanga (de zangado). Mau humor. Birra. Irritação. Diz-se também de
coisa estragada ou azeda.
Zanzar – Andar à toa. Sem destino.
Ziquizira – Doença ou mal-estar cujo nome não se conhece.Zoeira – Conhece-se também por Azueira. Algazarra. Falatório.
Zombar – Tratar com descaso. Escarnecer. Gracejar.
Zunzum – Boatos. Cochichos. Mexericos.

Disponível em: > http://2009.campinas.sp.gov.br/trabalho/uploads/2007/09/mini_dicionario(1).pdf

3 comentários:

  1. Oi Helena, muito procurei, e no seu blog achei! Muito boa a sua pesquisa, vou trabalhar as palavras e seus significados no caderno de caligrafia, com meus pequenos do 2º ano. Parabéns! Simone

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário, Simone! Sucesso com a turminha!

    ResponderExcluir