Pages

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Revisão - Substantivos

Substantivos


Os substantivos dão nome às substâncias ou a objetos apreendidos como substâncias (qualidades, estado, processos. Dividem-se em duas categorias: os concretos e os abstratos.


Os graus do substantivo

aumentativo (tamanho maior do que o normal)

diminutivo (tamanho menor do que o normal)

Os graus têm nomes especiais

Grau analítico

Quando usa-se palavras para expressar o aumentativo ou o diminutivo: grande, enorme; pequeno, minúsculo. Exemplos: casa grande, casa enorme, boca enorme, janela pequena, olhos minúsculos, etc.

Grau sintético

Quando usa-se terminações (sufixos) para expressar o aumentativo ou o diminutivo: - ão, -zão, -arra, -ona, -inho, -ito, -eta, etc. O grau sintético, tanto na forma aumentativa quanto na diminutiva, pode ser feito de duas maneiras: regular (com sufixos comuns: -ão e -zão ( para o aumentativo ) e -inho e -zinho ( para o diminutivo) e irregular (quando toma outros sufixos ).

Alguns aumentativos regulares (-ão e -zão)


amigo - amigão/ amigalhão

atlas - atlasão

fita  - fitão

funil  -funilzão

lápis - lapisão

lobo - lobão

menino - meninão

pé - pezão

pires - piresão

Alguns aumentativos sintéticos irregulares (construídos com outros sufixos)


animal -  animalejo

ave-  avejão

bala - balaço

barca - barcaça

bêbado - bebarro

beiço - beiçola

beijo-  beijoca

bicho-  bichão, bicharrão

boca - bocarra

cabeça - cabeçorra

cadeira - cadeirão

calor - canícula

cão - canzarrão

cara - caraça, carantonha

casa - casarão

colher - colheraça

copo - copázio

coração - coraçaço

corpo-  corpanzil, corpaço

cruz - cruzeiro

dente- dentola/dentuça/dentão

drama - dramalhão

escada - escadaria

faca - facalhão, facona

fatia - fationa (preferível = fatia enorme)

fedor - fedentina

festa - festança

flor- florona / florzona

fogo - fogaréu, fogacho

forno -  fornalha

forte-  fortaleza

galo -galaroz

gato - gatarrão

grande - grandalhão

homem-  homenzarrão

lima-  limatão

ladrão - ladravaz, ladraço

limão- limonaço

língua - lingueirão

mamão - mamonaço

mão-  manzarrona, manápula/manzorra

monte- montanha

mulher -mulheraça, mulherona

muro - muralha

nariz-  narigão

navio - naviarra

olhos- olheirões

ouro -ourama

pedra - pedregulho

perna-  pernalta

poeta-  poetrasto

poeira - poeirama

povo - povaréu

prato - pratarraz

rapaz- rapagão

rato - ratazana

rico - ricaço

sapo - saparrão

unha - unhaço

voz - vozeirão

Alguns diminutivos regulares ('-inho' e '-zinho)



abelha - abelhinha

álbum - albunzinho

arte -artezinha

atividade -atividadezinha

aula -aulinha

boné -bonezinho

bota -botinha

cadáver- cadaverzinho

caneca -canequinha

casa - casinha

cão -cãozinho, cãozito

começo- comecinho

colher -colherinha, colherzinha

coelho -coelhinho

coqueiro -coqueirinho

filho- filhinho

índio indiozito

lápis -lapisinho

livro- livrinho, livrozinho

lobo -lobinho

mamão- mamãozinho

pé- pezinho

praça- pracinha

preço- precinho

pudim -pudinzinho

raio -raiozinho

rádio- radiozinho

rapaz- rapazinho

roça- rocinha

serviço- servicinho

tênis -tenisinho

urubu -urubuzinho

vaso -vasinho

xícara- xicarazita, xicarazinha, xicarinha

Alguns diminutivos irregulares ( construídos com outros sufixos )


abelha - abelhita, abelhazinha, abelhinha

aldeia -aldeola

árvore- arbusto

astro -asteroide

ave- avícula

barba -barbicha

beijo- beijote

barba -barbicha

casa- casebre/ casinha

caixa -caixote

caminhão -camioneta, caminhonete

casa -casebre

chuva -chuvisco/ chuvinha

corda -cordel

corpo -corpete

cruz- cruzeta

diabo -diabrete

espada -espadim

estátua -estatueta

fazenda -fazendola

farol -farolete

fio -filete

frango- frangote

galo -galispo

globo- glóbulo

gordo- gorducho

gota -gotícula

guerra- guerrilha

ilha- ilhéu, ilhota

homem -homúnculo

jornal- jornaleco

laje -lajota

livro- livreto, livreco

lugar -lugarejo

menina- meninota

monte -montículo

namoro -namorico

núcleo- nucléolo

obra(literatura) -opúsculo

padre -padreco

palácio- palacete

papel- papelucho

parte -partícula

perdiz- perdigoto

ponte- pontilhão

porta- portinhola

rabo -rabicho

raiz- radícula

rapaz- rapazola, rapazote, rapazelho

rio -ribeiro, riacho

rua -ruela

saco- saquitel, saquinho

sala -saleta

sapato -sapataço

vara -vareta, varela

velho velhote

verão- veranico

vila- vilela, vileta, vilola, vilarejo


Uso da forma analítica


Existem substantivos que não possuem a forma sintética para o grau aumentativo, e existem outros, que embora a possuam, prefere-se o uso da analítica para evitar cacofonia ou melhor entonação.



alegria -alegria imensa

costas -costas grandes

olheiras -olheiras enormes

vale -vale enorme

abade- abade enorme

ganso- ganso muito grande/ enorme/gigante

mato- mato extenso


Prefere-se também a forma analítica para formar o aumentativo de muitas palavras:

ponte - ponte grande, enorme, imensa

porta - porta enorme, porta grande, etc.


fonte:http://www.lpeu.com.br/a/Aumentativos-e-diminutivos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário